Secretaria Municipal de Assistência Social - SMAS

 

A Lei nº 1.781, de 27 de outubro de 1995 - atualizada pela Lei nº 2.003, de 16 de julho de 2009 – cria a Secretaria Municipal de Assistência Social – SMAS.
 
A Secretaria Municipal de Assistência Social é o Órgão Gestor municipal da Política Pública de Assistência Social em Toledo.
 
Oferta serviços, programas, projetos e benefícios de assistência social em parceria com a rede socioassistencial desenvolvidos no âmbito governamental e da sociedade civil organizada.
 
Em Janeiro de 2013 a sra. Ineiva Terezinha Kreutz Louzada assumiu a Secretaria Municipal de Assistência Social.
 
Em 2010 houve um reordenamento da Secretaria municipal de Assistência Social, sendo estruturado os seguintes Departamentos:
  
Gabinete da Secretária de Assistência Social
Apoio a Instâncias de Deliberação (Secretaria Executiva dos Conselhos)
Conselho Tutelar

Proteção Social Básica

CENTRO DE REFERÊNCIA E ASSISTENCIA SOCIAL - CRAS

CRAS I Vila Pioneiro

CRAS II Jardim Europa/América

CRAS III Jardim Coopagro

CRAS IV Jardim Panorama

CRAS V Santa Clara

PROJOVEM ADOLESCENTE nos 5 CRAS

Cadastro Único para Programa Sociais nos 5 CRAS

Qualificação Profissional e Geração de Renda

CENTRO DE REVITALIZAÇÃO DA TERCEIRA IDADE – CERTI

CERTI Dr Wilson Carlos Kuhn Vila Pioneiro

CERTI Dr Ernesto Dall Oglio Jardim Coopagro

ESPAÇO VIDA - Florir Toledo

Unidade Social São Francisco - USSF

 Núcleo de Atendimento a Criança e Adolescente – N.A.C.A.

 

Proteção Social Especial

CREAS I

CREAS II

Casas Abrigos

 

Unidades que desenvolvem a Política de Assistência Social em Toledo não governamental

- Ação Social São Vicente de Paulo;

- Casa de Maria;

- Dorcas Pioneiro e Coopagro;

- APM Novo Sarandi

- APM Vila Nova;

- APM Anita Garibaldi – Circo da Alegria

- APAC CAIC

 - Aldeia Betesda

- Centro Beneficente de educação Infantil Ledi Mass

- APAE

- APA

- Lar Irmãos Dentzer
 
Gestão do Sistema Municipal de Assistência Social
Gestão do Trabalho
Monitoramento e Controle da Execução dos Serviços, Programas Projetos e Benefícios
                        Monitoramento e Avaliação da Rede Socioassistencial
Gerenciamento dos Sistemas de Informação
Patrimônio
                          Almoxarifado
 
Planejamento e Orçamento
Gerenciamento do FMAS e FMDCA
Gestão de Convênios
 
 
Acesse a baixo os serviços, programas, projetos e benefícios de assistência social, ofertados pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Toledo, em conformidade com a Política Nacional de Assistência Social e Sistema Único de Assistência Social - SUAS.

 

 

Cadastro Único para Programas Sociais

O Cadastro Único para Programas Sociais foi instituído pelo Decreto n° 3.877, de 24 de julho de 2001 e depois revogado pelo Decreto nº 6.135 de 26 de junho de 2007, onde em seu Art. 2º define o Cadastro Único como um instrumento de identificação e caracterização sócio-econômica das famílias brasileiras de baixa renda, a ser obrigatoriamente utilizado para seleção de beneficiários e integração de programas sociais do Governo Federal voltados ao atendimento desse público.

 Configura-se ainda como um instrumento que tem por objetivo retratar a situação sócio-econômica da população de todos os municípios brasileiros, por meio do mapeamento e identificação das famílias de baixa renda. Também possibilita conhecer suas principais necessidades e subsidiar a formulação e a implantação de serviços sociais que os atendam.

A utilização do Cadastramento Único pelas três esferas do Governo proporciona maior abrangência dos programas sociais, ajuda a identificar os potenciais beneficiários e evita a sobreposição de programas para uma mesma família.

 

Bolsa Família 

  O Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda com condicionalidades, que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza.
 

 

Lembrando que o Cadastro Único pode dar acesso a outros programas, serviços e benefícios como:

- Baixa renda da luz,

- Baixa renda da água,

- Inscrição gratuita para concurso público federal,

- Carteirinha de passe livre interestadual para idosos acima de 60 anos que não recebem benefício do INSS,

- Inscrição na Secretaria de Habitação para as casas populares,

- Benefício eventual (auxílio natalidade, material, funeral e exame de maternidade e paternidade),

- Passe livre intermunicipal para pessoas com deficiência e algumas patologias crônicas,

- Programa ProJovem Adolescente,

- Programa Florir Toledo,

- Cursos oferecidos pela Secretaria de Assistência Social,

- Contribuição no INSS com alíquota de 5% sobre 1 salário para as mulheres que trabalham apenas no âmbito de sua residência,

- Atendimento e participação nas atividades desenvolvidas nos CRAS.

Para saber mais informações procure o CRAS de seu território!

 

 

 

 

Programas e benefícios

 
 

AnexoTamanho
1235755950logo_pr_alfa2.gif10.43 KB

Gestão Secretaria Municipal de Assistência Social

A Secretaria Municipal de Assistência Social está estruturada conforme organograma:

 

 

Gabinete da Secretária de Assistência Social
·         Coordenação Geral da Política de Assistência Social;
·         Responder legalmente pela gestão da Política de Assistência Social municipal;
·         Articular com as demais Secretarias Municipais e Estaduais no município de Toledo na perspectiva da intersetorialidade visando à qualidade dos serviços aos usuários;
  
             Secretaria  Executiva                                    
              Conselho Tutelar
 
Direção da Proteção Social Básica –                 
Entre suas atribuições:
·                     Organizar e coordenar a rede de serviços socioassistenciais de Proteção Social Básica no âmbito do SUAS;
·                     Articular a rede socioassistencial de Proteção Social Básica governamental e da sociedade civil;
·                     Articular a rede socioassistencial da Proteção Social Básica com a Proteção Social Especial e demais Políticas Sociais;
·                     Manter junto com os CRAS os dados atualizados do Diagnóstico Social no Município no âmbito do SUAS na Proteção Social Básica;
·                     Dar Suporte técnico a rede socioassistencial no que se refere ao SUAS na Proteção Social Básica;
·                     Articular e coordenar o mapeamento dos usuários da rede socioassistencial na Proteção Social Básica no Município;
·                     Responder legalmente pelos serviços da Proteção Social Básica juntamente com Coordenadores dos CRAS, programas/projetos municipais e pro jovem;
·                     Participar do processo de Monitoramento e Avaliação do SUAS no âmbito municipal da Proteção Social Básica;
·                     Acompanhar a execução do Protocolo de Gestão dos CRAS;
·                     Acompanhar a execução dos serviços de proteção social básica da rede socioassistencial governamental;
·                     Participar/Acompanhar as reuniões dos Conselhos de Direito: CMAS, CMDCA, CMDI;
·                     Coordenar as reuniões com Coordenadores e Técnicos dos CRAS;
·                     Participar das reuniões com Coordenadores e Técnicos da Proteção Social Básica e Especial, bimestralmente.
 
 
Direção da Proteção Social Especial –             
Entre suas atribuições:
·                     Organizar e coordenar a rede de serviços de Proteção Social Especial no âmbito do SUAS;
·                     Articular a rede socioassistencial de Proteção Social Especial governamental e da sociedade civil;
·                     Articular a rede socioassistencial da Proteção Social Especial com a Proteção Social Básica e demais Políticas Sociais;
·                     Manter junto com os CREAS os dados atualizados do Diagnóstico Social no Município no âmbito do SUAS na Proteção Social Especial;
·                     Dar Suporte técnico a rede socioassistencial no que se refere ao SUAS na Proteção Social Especial;
·                     Articular e coordenar o mapeamento dos usuários da rede socioassistencial na Proteção Social Especial no Município;
·                     Participar do processo de Monitoramento e Avaliação do SUAS no âmbito municipal da Proteção Social Especial de Média e Alta Complexidade;
·                     Acompanhar a execução dos serviços de Proteção Social Especial da rede socioassistencial governamental;
·                     Participar da avaliação de casos junto com a equipe da Proteção Social Especial de Alta Complexidade e Ministério Público, Vara da Infância e Juventude e Serviço Auxiliar da Infância;
·                     Responder legalmente pelos serviços da Proteção Social Especial juntamente com Coordenadores dos CREAS, Casas Abrigo e programas municipais;
·                     Participar/Acompanhar as reuniões dos Conselhos de Direito: CMAS, CMDCA, CMDI;
·                     Coordenar as reuniões com Coordenadores e Técnicos dos CREAS e Abrigos, mensalmente;
·                     Participar das reuniões com Coordenadores e Técnicos da Proteção Social Básica e Especial, bimestralmente.
 
 
Gestão do Sistema Municipal de Assistência Social
 
·                     Construir instrumentos de gestão da Política de Assistência Social;
·                     Elaborar a Política Municipal de Assistência Social com apoio dos demais departamentos da SMAS e rede socioassistencial;
·                     Preencher os instrumentos de gestão Federal no SUAS Web;
·                     Preencher os instrumentos de gestão Estadual;
·                     Manter atualizado os dados do Cad Suas da rede socioassistencial;
·                     Elaboração do Plano Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, em articulação com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e as demais Secretarias Municipais;
·                     Coleta e sistematização do Relatório de Gestão Bimestral da Criança e da Adolescência;
·                     Participar da construção/atualização do Diagnóstico Social da área de Assistência Social;
·                     Elaborar/atualizar o Plano de Inserção dos beneficiários do BPC – Benefício de Prestação Continuada;
·                     Elaborar e acompanhar a execução do Plano de Inserção de Benefícios Eventuais;
·                     Elaborar e participar da execução do Plano Municipal de Monitoramento e Avaliação;
·                     Participar da Construção, atualização e avaliação do Plano do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil;
·                     Subsidiar a elaboração de Programas e Projetos da SMAS;
·                     Participar e acompanhar o Mapeamento dos usuários da rede socioassistencial;
·                     Coordenar as reuniões com Coordenadores e Técnicos da Proteção Social Básica e Especial, bimestralmente;
·                     Articular Grupos de Estudos com os técnicos da SMAS;
·                     Prestar orientações técnicas a rede governamental e da sociedade civil referentes a Gestão do SUAS no âmbito municipal;
·                     Participar/acompanhar reunião dos Conselhos de direito: CMAS, CMDCA, CMDI;
·                     Sistematização dos dados dos Serviços, Programas e Projetos governamentais para o Relatório Quantitativo mensal;
·                     Controle de Ofícios Recebidos e Expedidos do Gabinete e Departamento de Gestão;
·                     Arquivamento e Catalogação de Matérias jornalísticas referentes à SMAS;
·                     Acompanhamento do Órgão Oficial do município, e impressão e arquivamento de Decretos, Resoluções e Portarias referentes a SMAS;
·                     Agendamento de Note book e multimídia para os Programas e Serviços governamentais da Secretaria;
·                     Manter atualizado as informações no sitio da Prefeitura Municipal no Link da SMAS;
·                     Gestão do Trabalho:
        Elaborar e executar o Plano de Capacitação dos Trabalhadores do SUAS;
        Controle de Recursos Humanos da SMAS;
·                     Controle do almoxarifado;
 
·                     Gerenciamento dos Sistemas de Informação:
        Suporte Técnico na área de Tecnologia da Informação - TI;
        Relacionamento dos produtos e serviços ligados à área de TI;
        Acompanhamento do Sistema de Informação socioassistencial;
·                     Outras atividades correlatas.
 
 
Contato
Fone: 45 30558700          Fax: 3252 3694
 
Planejamento e Orçamento
·                    Gerenciar o FMAS e FMDCA com apoio do setor de Contabilidade e Planejamento - nas movimentações do FMAS;
·                     Coordenar os processo de compras da SMAS;
·                     Elaborar as solicitações de processos licitatórios da SMAS;
·                     Elaborar convênios com a rede socioassistencial;
·                     Receber e analisar as prestações de contas dos convênios firmados com a rede, referentes aos recursos repassados pelo Município e Governo Federal;
·                     Prestar orientações à rede socioassistencial em matéria de convênios;
 
 
 
Departamento de Qualificação Profissional e Geração de Renda
 
O Departamento de Qualificação Profissional e Geração de Renda da Secretaria Municipal de Assistência Social é vinculado aos CRAS na oferta de cursos e oficinas de artesanato.
As ações de inserção produtiva, no âmbito de atuação da proteção social básica, têm como proposta contribuir para o alcance do desenvolvimento sustentável de famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade e risco social, através da geração de alternativas de trabalho e renda.
De acordo com o Guia de Orientação Técnica para o CRAS, do MDS: As ações de capacitação e inserção produtiva possibilitam a garantia do convívio social, enquanto exercício de fortalecimento de vínculos, viabilizando a transição de pessoas/famílias e grupos da situação de vulnerabilidade e risco, para situação de autonomia e protagonismo na definição e consolidação de projeto de vida pessoal ou coletivo. Devem possibilitar ainda a melhoria da qualidade de vida, a preservação do meio ambiente e o exercício da cidadania.
Desta forma, o Departamento de Qualificação e Geração de Renda articulado com os CRAS tem como objetivo a qualificação profissional fortalecimento da autonomia dos sujeitos e dos vínculos familiares através das oficinas de artesanato. Visando entre outras ações, a inclusão produtiva e a preparação dessas famílias para ocupação de vagas no mercado de trabalho. 
 
Publico Alvo:
Com prioridade de atendimento às famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família ou inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais.
 
Cursos Ofertados:
Os cursos ofertados são realizados através dos CRAS atendendo todos os territórios do Município.
 
Modalidade de cursos
·                     informática;
·                     corte e costura;
·                     costura industrial;
·                     bordado em chinelo;
·                     bordado em toalha com fita;
·                     bordado manual;
·                     ponto reto;
·                     artesanato e oficinas;

Contato
       Para maiores informações entre em contato pelo telefone:
(45) 30558700 fax: 3252 3694
       e-mail cursos.smas@hotmail.com ou contato diretos nos CRAS.
 
 
 
 
 

 

Instrumentos de Gestão da Política de Assistência Social - Toledo

 

 

 

 

 

 

 

 

Proteção Social Básica

Conforme a Política Nacional de Assistência Social de 2004:

Conforme a Política Nacional de Assistência Social de 2004:

proteção social básica tem como objetivos prevenir situações de risco por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições, e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários.

Destina-se à população que vive em situação de vulnerabilidade social decorrente da pobreza, privação (ausência de renda, precário ou nulo acesso aos serviços públicos, dentre outros) e, ou, fragilização de vínculos afetivos - relacionais e de pertencimento social.

Prevê o desenvolvimento de serviços, programas e projetos locais de acolhimento, convivência e socialização de famílias e de indivíduos, conforme identificação da situação de vulnerabilidade apresentada.

 

A Proteção Social Básica no Município de Toledo se organiza pela rede socioassistencial governamental e privada. No âmbito do poder público municipal, é composta pelos seguintes equipamentos ou programas:

 

1. CRAS – 5 unidades distribuídas em territórios definidos e georeferenciados.

2. CERTI – 2 unidades com território de abrangência pré-definidos.

3. Núcleo de Atendimento a Criança e Adolescente - NACA

4. Espaço Vida - Programa Florir Toledo

5. Unidade Social São Francisco

6. Programa PROJOVEM Adolescente – 09 coletivos distribuídos nos 05 CRAS

Acesse os links abaixo para maiores informações:

CRAS - Centro de Referência de Assistência Social

 

CRAS - CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

Enviado por social.beth em ter, 15/02/2011 - 13:37

 

O CRAS é a “porta de entrada” dos usuários à rede de proteção social básica do Sistema Único de Assistência Social - SUAS. É uma unidade pública estatal responsável pela oferta de serviços continuados de proteção social básica de assistência social às famílias, grupos e indivíduos em situação de vulnerabilidade social.

  

Atribuições do CRAS:

·         Executar serviços de proteção social básica;

·        Organizar e coordenar a rede de serviços sócio-assistenciais locais da política de assistência social;

·        É responsável pela oferta do Serviço de Proteção e Atendimento Integral a Família - PAIF;

·        Realizar, sob orientação do gestor municipal de Assistência Social, o mapeamento e a organização da rede socioassistencial de proteção básica;

·        Promover a inserção das famílias nos serviços de assistência social local;

·        Promover o encaminhamento da população local para as demais políticas públicas e sociais. (PNAS 2004).

 

Os serviços do CRAS são realizados com referência territorializada, visando à valorização das heterogeneidades, as particularidades de cada grupo familiar, a diversidade de culturas e a promoção e o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários.

 

Em Toledo foram implantados 5 CRAS com territórios de abrangência em todos os bairros e distritos.

  

CRAS I – Vila Pioneiro

Rua Dr. Cyro Fernandes do Lago, 167 – Vila Pioneiro

Telefone: 3378-8636

Anexo a Secretaria Municipal de Assistência Social - 

CRAS II – Jardim Europa/América

Rua Carlos Drumond de Andrade, s/n.

Telefone: 32527585

Anexo a Associação de Moradores do Jardim Bela Vista

CRAS III – Jardim Coopagro

Rua Casimiro de Abreu 171 Vila Industrial

Telefone: 32783125

 Em frente à UNIOESTE.

CRAS IV – Jardim Panorama

Rua Senador Acyoli Filho esquina com Osvaldo Aranha, nº 2545 – Panorama

Telefone: 3252 7958

Antiga Associação da Copel – anexo a Praça João Ramos.

CRAS V – Santa Clara

Rua Ledi Fischer Mass – Santa Clara IV

Telefone: 3278 - 7287

anexo a Praça CEU.

A população ao demandar de algum serviço de proteção social básica de assistência social deverá procurar o CRAS de referência do bairro em que mora.
 
 Em anexo os bairros de abrangência dos CRAS. 
 
 

CRAS IV - JARDIM PANORAMA

O CRAS IV Jardim Panorama, foi o 4º a ser implantado no Município de Toledo, sendo que as atividades com a população tiveram inicio após 23 de dezembro, data de sua inauguração oficial.

O Território de abrangência desse CRAS são as seguintes localidades: Cerâmica Prata, Chaparral, Estrada da Usina, Jardim Filadélfia, Jardim Bressan, Jardim Pancera, Jardim Parizotto, Linha Mandarina, Linha Tapui, Jardim Belo Horizonte, Santa Clara II, São Francisco, Vila Panorama, e Vila Rural Felix Lerner.O equipamento conta com sede própria.

                  O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) preconizado pelo Sistema Único de Assistência Social (SUAS) trata-se de uma unidade pública estatal descentralizada, responsável pela oferta de serviços continuados de proteção social básica às famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social.

 

·         OBJETIVO; O CRAS tem como objetivo a prevenção de riscos sociais, por meio do desenvolvimento de potencialidades e do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, tendo como eixo central a execução do PAIF - Programa de Atenção Integral a Família, através do atendimento a indivíduos e grupos, ofertando serviços e ações continuadas. Tendo como prioridade para o atendimento: famílias com maior grau de vulnerabilidade, as beneficiárias do Programa Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada.

·         PÚBLICO ALVO; Famílias, indivíduos ou grupos que se encontram em situações de vulnerabilidade e riscos, priorizando famílias beneficiárias dos programas de transferência de renda (PBF, BPC).

·         PROJETOS REALIZADOS; Cegonha Feliz, Roda da Conversa, ParticipAção, Projovem, Cumprimento e Descumprimento de Condicionalidades do Bolsa Família, Informar para Direitos, Fortalecendo a Família e BPC.

·         CRITÉRIOS PARA INSERÇÃO; Famílias, indivíduos ou grupos que se encontram em situações de vulnerabilidade e riscos, priorizando famílias beneficiárias dos programas de transferência de renda (PBF, BPC),

 

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO; Das 8:00  as 17:15

ENDEREÇO; Rua Carlos Sbaraini nº 2251 – Bairro São Francisco

TELEFONE; 3252-7958

E-MAIL; cras4panorama@yahoo.com.br

NOME DA COORDENAÇÃO – Maria Nilda de O. Evangelista

Novo endereço do Cras III

No último dia 11/10/2016 o Centro de Referência de Assistência Social – CRAS III Coopagro mudou de endereço e passou a atender aos usuários do território do Grande Coopagro em novo endereço, na Rua Casemiro de Abreu, 171 – Vila Industrial, ao lado da Praça da Copel.O CRAS III Coopagro atende aos moradores dos bairros: Vila Becker, La Salle, Santa Maria, Tocantins, Industrial, Jardim Gisele, Fachini, Planalto, Jardim Coopagro, Pancera (Oeste), Basso, Anápolis, Santa Clara I, Pascali e Filadélfia, e dos Distritos de: Concórdia D’Oeste, Dez de Maio, Dois Irmãos, Vila Ipiranga, Vila Nova, Novo Sobradinho e Novo Sarandi. PROJETO DE CONSTRUÇÃO DO CRAS III O CRAS III está com os projetos arquitônico e hidráulico/elétrico prontos para construção de unidade própria, sendo que já estão destinados recursos financeiros para começar a obra no início de 2017. O projeto prevê a construção de uma sede no Jardim Coopagro, próximo ao Centro da Juventude Mariana Luiza Von Borstel (Jardim Coopagro). CRAS EM TOLEDO O Centro de Referência de Assistência Social realiza atendimento a indivíduos e famílias por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família – PAIF e tem por objetivo: prevenir situações de risco social, por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições e do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. Ou seja, atua de forma preventiva, protetiva e proativa, reconhecendo a importância de responder às necessidades humanas de forma integral, para além da atenção a situações emergenciais, centradas exclusivamente nas situações de risco social.Toledo conta atualmente com 05 Centros de Referência de Assistência Social, os quais tem abrangência específica conforme a localidade de cada CRAS, conforme o quadro abaixo.

TERRITÓRIOS DOS CRAS - CENTROS DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
ENDEREÇO DO CRAS BAIRROS PERTENCENTES
CRAS I – Vila PioneiroRua Dr. Ciro Fernandes do Lago, 167Vila Pioneiro3378-8636craspioneira@hotmail.com Centro, Vila Pioneiro, Vila Operária, Vila Boa Esperança, Jardim Maracanã, Paulista, Jardim Alto Alegre, Jardim Paraíso, Bandeirantes, Park Verde, Jardim da Mata, Jardim Laranjeiras, Bom JesusExpansão na PR – 317 na faixa da 1º de maio com a Rua Capitão Leônidas Marques
CRAS II – Jardim EuropaRua Carlos Drummond de Andrade, 667Jardim Europa3252-7585craseuropa@hotmail.com Jardim Europa/América, Jardim Concórdia, Independência, Jardim Porto Alegre, Bela Vista, Santa Clara III, Pedrini, Jardim Carele e São Pelegrino.
CRAS III – Jardim CoopagroRua da Faculdade, 593Jardim Santa Maria (endereço provisório)3278-3125crascoopagro@hotmail.com Vila Becker, La Salle, Santa Maria, Tocantins, Industrial, Jardim Gisele, Fachini, Planalto, Jardim Coopagro, Pancera (Oeste), Basso, Anápolis, Santa Clara I, Pascali e Filadélfia.Distritos: Concórdia D’oeste, Dez de Maio, Dois Irmãos, Vila Ipiranga, Vila Nova, Novo Sobradinho e Novo Sarandi.
CRAS IV – PanoramaRua Carlos Sbaraini, 2251Jardim Panorama3252-7958Cras4panorama@yahoo.com.br Vila Panorama, São Francisco, Cerâmica Prata, Bressan, Parizotto, Pancera (Leste), Belo Horizonte, Croma, Filadélfia, Santa Clara II, Jardim das Torres, Cezar Park e Vila Rural.
CRAS V – Santa Clara IVRua Ledi Fisher Maas, s/nJardim Santa Clara IV3278-7287Cras.santaclara@hotmail.com Pinheirinho, Santa Clara IV, Santa Clara V, Barcelona, Jardim Heloisa, Jardim das Acácias. Distritos: São Luiz, Ouro Preto, Boa Vista, Vista Alegre e Bom Principio.Expansão na PR – 317 a partir da Rua Capitão Leônidas Marques

  

AnexoTamanho
endereco_do_cras.jpg38.35 KB

CERTI - Centro de Revitalização da Terceira Idade

O CENTRO DE REVITALIZAÇÃO DA TERCEIRA IDADE – CERTI
 
Objetivo Geral:
Possibilitar aos cidadãos idosos do Município de Toledo ações diferenciadas através dos CERTI´s, preconizando o favorecimento da qualidade de vida por meio de atividades culturais, educacionais, físicas, sociais, lazer e atendimentos especializados independente deste ser ou não membro de grupos de idosos. (Fonte: Projeto do Certi, 2007).
 
Objetivos Específicos
* Incentivar e possibilitar a inclusão de idosos que encontram-se acamados e não fazem parte de grupos de idosos, objetivando sua inclusão e fomento ao convívio comunitário;
* Ofertar conhecimentos sócio-educativos, facilitando acesso à informação;
* Proporcionar o acesso a serviços de profissionais especializados;
* Incentivar o idoso a promover sua autonomia e independência;
*Oportunizar a prática de atividades físicas e recreativas, em busca de promover a melhoria na qualidade de vida do idoso;
* Promover atividades culturais, possibilitando a sociabilidade, a integração e a troca de experiências intergeracionais;
* Incentivar e promover o desenvolvimento da criatividade;
* Aperfeiçoar os serviços de atendimento assistencial, solidificando os direitos sociais da pessoa idosa.
 
Os CERTI´s são compostos de serviços de saúde, sócio-educação, atividades físicas e recreativas e assistência social, contemplando os seguintes atendimentos:
 
Serviço Social:
São realizadas atividades de escuta qualificada; acompanhamento sócio-familiar; orientações e encaminhamentos de benefícios; encaminhamentos às políticas de competência; elaboração de relatórios; estudos, laudos e pareceres sociais;visitas domiciliares e desenvolvimento do “Projeto Esperança”, beneficiando idosos sem renda com uma cesta básica mensal até o alcance do Benefício de Prestação Continuada. Ademais, os serviços/ações/programas e projetos desenvolvidos nesta área deve atender ao nível de proteção social básica.
 
Educação Física:
Na área das atividades físicas são desenvolvidas diferentes atividades: ginástica aeróbica, ginástica localizada, alongamento e hidroginástica com o objetivo de promover uma melhora na qualidade de vida através da melhora em diversos aspectos: fisiológicos, psicológicos e sociais, além da redução ou prevenção de algumas doenças.
 
Clínica Geral:
Compreende a ação de um profissional de clínica geral realiza consultas para pessoas inscritas no CERTI e ainda para encaminhamento de pessoas que ainda não participam de atividades.
 
Odontologia:
São realizadas palestras sobre medidas preventivas em relação a saúde bucal e métodos de tratamento de patologias existentes, bem como, atendimentos ambulatoriais. Este atendimento ambulatorial realizado no Centro é o tratamento básico, desta forma, quando há necessidade de atendimento específico para próteses, tratamento de canal e cirurgias afins é realizado encaminhamento ao Centro de Especialidades Odontológicas.
 
Enfermagem:
São desempenhadas ações de aferição de pressão arterial pré e pós atividades físicas, triagem e agendamento de consultas médicas.
 
 
Fisioterapia/Hidroterapia:
A fisioterapia e a hidroterapia visam ofertar tratamento fisioterápico apropriado, de acordo com a patologia específica de cada idoso, levando em conta a particularidade de cada caso. A fisioterapia/hidroterapia atende nas áreas: reumatológica, pulmonar, ortopédica e neurológica, buscando assim a promoção/recuperação da saúde, melhoria da qualidade de vida, facilitar as atividades de vida diária, levando assim a uma maior independência.
 
Artesanato:
Em estas são coordenadas por instrutora capacitada, sendo que são realizadas aulas de trabalhos manuais com supervisão e intervenção do Serviço Social.
 
Informática:
Desempenha ações que proporcionam novos conhecimentos e o não estranhamento com a realidade do mundo virtual, possibilitando agilidade e exercício mental em contato com o computador.
 
Alfabetização:
O Programa “Paraná Alfabetizado” vem sendo desenvolvido no CERTI´s em parceria com o governo do estado.
 
Em Toledo são 2 unidades:
 
CERTI - Dr. Wilson Carlos Kuhn
Rua Capitão Leônidas Marques, Chácara 30
Telefone: (45) 3252-5890
 
CERTI - Dr. Ernesto Dall´Oglio
Rua Rodrigues Alves, 1224 – Jd. Coopagro
Telefone: (45) 3277-3670
 
Acesse o álbum de fotos de atividades realizadas nos CERTIs - em anexo.
  

Espaço Vida – Programa Florir Toledo

 PROJETO FLORIR TOLEDO

 
 

OBJETIVO GERAL:

 

O Projeto Florir Toledo é um programa de fortalecimento comunitário que tem como público-alvo adolescentes em situação de vulnerabilidade.

O projeto capacita profissionalmente os jovens participantes com ações ativas para a proteção do meio ambiente, incentivando o protagonismo juvenil e fomentando o desenvolvimento social e econômico dos mesmos.

Entre as atividades relacionadas à especialização ambiental, os alunos aprendem o processo de preparação da terra, germinação, transplante de mudas e ajardinamento. Realizam plantio de mudas, participam de atividades de sensibilização junto à comunidade e auxiliam na confecção de material de divulgação a respeito da preservação ambiental.

Cursos, eventos, seminários, encontros e reuniões com temas a respeito de meio ambiente e qualidade de vida também acontecem periodicamente.

Além do foco ambiental, o programa oferece diversas atividades recreativas, culturais, pedagógicas e esportivas que são fundamentais para o desenvolvimento social dos adolescentes.

As atividades propostas acontecem em dois turnos vespertino e matutino  e ampliam a formação dos jovens como lideranças ambientalistas ao incentivar e aprofundar o debate sócio ambiental com foco em políticas públicas e de fortalecimento dos seus espaços de atuação.

As capacitações abordam a geração de renda, proporcionam melhoria do desenvolvimento escolar e do convívio com as diferenças, através da convivência dos jovens de diferentes bairros da cidade.

 

O projeto reúne cerca de 50 jovens ao ano, divididos nos turnos da manhã e da tarde. É prioridade o envolvimento das famílias em todas as atividades.

 

As comunidades são mobilizadas por meio de escolas, centros de saúde, associações de bairros e grupos organizados para que os jovens se tornem centros efetivos de atenção para a sensibilização em relação às questões abordadas.

Em suma, o Programa Florir Toledo diferencia-se de outras iniciativas de educação sócio-profissional e de projetos alternativos que têm sido propostos, ao se afastar da formação profissional típica, centrada no treinamento para o exercício de uma ocupação. Amplia os horizontes da capacitação, preparando seus participantes para uma ampla gama de possibilidades e para uma atuação cidadã com espaço para percepção das relações humanas e com o planeta. 

OBJETIVO ESPECÍFICO:

Complementar as ações da família e comunidade;

Assegurar espaços de referencia para o convívio grupal;

Possibilitar a ampliação do universo informacional

Assegurar espaços de referência para o convívio grupal, comunitário e social e o desenvolvimento de relações de afetividade, solidariedade e respeito mútuo;

Possibilitar a ampliação do universo artístico e cultural e estimular o desenvolvimento de potencialidades;

Despertar as habilidades, talentos e propiciar sua formação cidadã; estimular a participação na vida pública do território e desenvolver competência para a compreensão crítica da realidade social e do mundo contemporâneo; contribuir para inserção e permanência no sistema educacional;

Incentivar e aprofundar o debate sócio ambiental com foco em políticas públicas, deflagrando um processo de formação de jovens e de fortalecimento dos seus espaços de atuação;

Ampliar a formação de jovens como lideranças ambientalistas;

Mobilizar, motivar e cativar os jovens para a participação e para o   comprometimento nas atividades sócio-educativas propostas pelo projeto;

Conhecer o processo de preparação da terra, germinação, transplante de mudas e ajardinamento;

Realizar atividades de plantio de mudas e sensibilização junto à comunidade;

Participar em eventos, seminários, cursos, encontros e reuniões com temas a respeito de meio ambiente e qualidade de vida;

Auxiliar na confecção de material de divulgação a respeito da preservação ambiental;

Desenvolver atividades pedagógicas e de reforço escolar aos participantes do projeto;

Envolver as famílias dos jovens em todas as atividades do projeto;

Mobilizar as comunidades por meio de escolas, centros de saúde, associações de bairros, grupos organizados de maneira que os jovens se tornem centros efetivos de atenção para a sensibilização em relação às questões ambientais;

Assegurar o acesso de todos os jovens a educação, sempre que apropriado, oferecendo estruturas de ensino alternativo, assegurando que o ensino reflita nas necessidades econômicas e sociais dos jovens;

Articular o programa com as ações e serviços de assistência social desenvolvidos nos Centros de Referência e Assistência Social - CRAS, que referenciam o serviço;Possibilitar a apropriação de informações sobre os programas e serviços, decorrentes de políticas públicas, nas áreas de cultura, direitos humanos e sócio-assistenciais, esporte e lazer, saúde, meio ambiente, trabalho e educação, que são desenvolvidos nos bairros e nas regiões de moradia dos jovens e facilitar o acesso a esses serviços;

Identificar diferentes visões sobre o tema “meio ambiente”, estimulando um olhar crítico dos jovens e provocando-os a perceberem como o tema está presente em seu cotidiano.

 

AÇÕES REALIZADAS:

 

Atividades Individuais e grupais de esporte (natação, capoeira, futsal, basquete, vôlei...), cultura (aulas de musica, flauta e violão) recreação, lazer, meio ambiente, alem de momentos pedagógicos, a fim de proporcionar o desenvolvimento da consciência de preservação e uso racional dos recursos naturais do meio ambiente.

 

Capacita os adolescentes envolvidos no Projeto com ações ativas na proteção do meio ambiente, fomentando os desenvolvimentos econômicos, sociais e de geração de renda, além de proporcionar melhoria do desenvolvimento escolar e no convívio com as diferenças, através da convivência dos jovens de diferentes bairros da cidade.

 

PÚBLICO ALVO

A população beneficiária do projeto corresponde à adolescentes de 13 a 17 anos, que se encontram em situação de vulnerabilidade social, risco pessoal e social, com prioridade à famílias com renda de Cad único.

 

BOLSA AUXÍLIO

 

Oferece bolsa - auxilio no valor de R$ 120,00 conforme Lei Municipal.  

 

ENDEREÇO / CONTATO

Endereço: Rua Corbelia, 830 Jardim Santa Maria, Toledo - PR.

 

Telefone: (45) 3379 1588

e-mail: florirtoledo@toledo.pr.gov.br ou florirtoledo@hotmail.com

 

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO:

 

Os atendimentos aos adolescentes são realizados der segunda a sexta-feira, nos períodos:

Manhã: 08:00 às 11:30h

Tarde: 13:30 às 17:00h

 

ATENDIMENTOS

 

São 50 adolescentes atendidos em 2 (dois) coletivos de 25 adolescentes cada, com atividades diárias.

 

AnexoTamanho
florir toledo.jpg14.19 KB

Unidade Social São Francisco

  UNIDADE SOCIAL SÃO FRANCISCO

 

A Unidade Social São Francisco é uma organização governamental, neste espaço se desenvolve o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Familiares e Comunitários, onde são atendidas aproximadamente 170 crianças e adolescentes de ambos os sexos.

            Para o desenvolvimento das atividades está construído o Programa Crescer. Qual é pautado na política de Assistência Social.  No programa Crescer é operacionalizada a Proteção Social Básica, a qual é destinada a prevenção de risco sociais.  O atendimento é de contra turno escolar.

            A Unidade Social São Francisco oportuniza o atendimento de crianças e adolescentes de 06 a 15 anos, tentando assim prevenir as situações de risco, visando o desenvolvimento de suas potencialidades.

            O horário de funcionamento com as crianças e adolescentes período matutino: 08:15 às 11:10 e no vespertino 13:30 às 16:30, em relação ao atendimento ao publico funciona no período matutino 08:00 às 11:45 e no vespertino das 13:15 às 17:15.

            A coordenação da Unidade Social São Francisco está sobre responsabilidade da servidora pública Roserene Vieira Zani Barboza, desde 2014.

Para atingir todos os objetivos da Tipificação Nacional, desenvolvemos as seguintes oficinas:

•       OFICINA DE ARTES,

•      OFICINA DE DANÇA,

•      OFICINA DE TAREFA,

•      OFICINA DE CONTAÇÃO DE HISTÓRIA,

•      OFICINA DE DESENHO LIVRE,

•      OFICINA DE VIOLÃO,

•      OFICINA DE INFORMÁTICA,

•      OFICINA DE CIRCO,

•      OFICINA DE CAPOEIRA,

•      OFICINA DE ESPORTE,

•      OFICINA CANTO E CORAL,

•      OFICINA FLAUTA,

•      OFICINA PINTURA

•      OFICINA VIOLINO,

•      OFICINA TECLADO,

•      OFICINA JUDO,

•      OFICINA MINI ATLETISMO,

•      OFICINA DE GR,

•      OFICINA DE NATAÇÃO,

•      OFICINA DE TEATRO,

•      OFICINA DE INGLÊS, 

Rua Osvaldo Aranha, 500 -  São Francisco

       Fone: (45) 3278-7956 Toledo – PR

            unidadesaofrancisco@gmail.com

 

NACA - Núcleo de Atendimento a Criança e Adolescente

   O Núcleo de Atendimento à Criança e ao Adolescente (NACA) teve sua origem através do Projeto Piá Ambiental que foi implantado no ano de 1996, com instalações físicas, com capacidade para atender 80 (oitenta) crianças e adolescentes no contraturno social.

Os usuários inseridos no NACA, são preferencialmente do território do CRAS I - Vila Pioneiro, oriundas de famílias cadastradas no programa bolsa família. Além da demanda espontânea, com laudos médicos e outras necessidades, e de famílias que tenham perfil, e que são encaminhados para atendimento dos mesmos.

A equipe do NACA, é constituída por profissionais que elaboram e desenvolvem projetos como: projeto de apoio escolar, projeto de canto, capoeira, artesanato, esportes, atividades circenses.

O Núcleo de Atendimento para Crianças e Adolescentes é um equipamento que está vinculado à Secretaria de Assistência Social e Proteção a Família, tendo como departamento de Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos - Proteção Básica.

O NACA tem como objetivo: garantir a realização de atividades de convivência fortalecimento de vínculos e socialização, com o foco na garantia das seguranças de acolhida e convivência familiar e comunitária, com intuito de prevenir a ocorrência de situações de risco social.

O NACA tem como horário de funcionamento :

Matutino   08:15 às 11:30h

Vespertino 13:30 às 16:30h

O NACA fica situado na Rua Santa Laura – Vila Paulista

e-mail para contato: nacatoledo@hotmail.com – 3277-1836

 

Programa PROJOVEM Adolescente

 O Programa PROJOVEM Adolescente executa o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos realizado pela Secretaria de Assistência Social e Proteção à Família (SMAS), através os Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) que atende os adolescentes com diversos cursos e projetos durante todo o ano. O programa incentiva atividades de cidadania, educação, esporte, cultura, lazer, além de cursos profissionalizantes gratuitos.

AnexoTamanho
projovem.jpg54.2 KB

Proteção Social Especial

 

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL

 
Conforme a Política Nacional de Assistência Social (2004), “a Proteção Social Especial é a modalidade de atendimento assistencial destinada a famílias e indivíduos que se encontram em situação de risco pessoal e social, por ocorrência de abandono, maus tratos físicos e, ou, psíquicos, abuso sexual, uso de substâncias psicoativas, cumprimento de medidas sócio-educativas, situação de rua, situação de trabalho infantil, entre outras.”
Os serviços de proteção social especial têm estreita interface com o sistema de garantia de direito exigindo, muitas vezes, uma gestão mais complexa e compartilhada com o Poder Judiciário, Ministério Público e outros órgãos e ações do Executivo.
A Proteção Social Especial é executada pela rede socioassistencial, podendo ser composta por equipamentos públicos e privados.
 
 
Proteção Social Especial de Média Complexidade
 
Os Serviços de Proteção Social Especial de Média Complexidade são serviços destinados a indivíduos e famílias com direitos violados. Requerem acompanhamento individual e maior flexibilidade nas soluções protetivas. Da mesma forma, comportam encaminhamentos monitorados, apoios e processos que assegurem qualidade na atenção protetiva e efetividade na garantia do direito violado.
 
Em Toledo estão instalados 2 CREAS:
CREAS I - MEDIDAS SOCIOEDUCATIVA DE LA E PSC
CREAS II - INDIVÍDUOS E FAMÍLIAS
 
Proteção Social Especial de Alta Complexidade
 
Os Serviços de Proteção Social Especial de Alta Complexidade são aqueles que garantem proteção integral – moradia, alimentação, higienização e trabalho protegido para famílias e indivíduos que se encontram sem referência e, ou, em situação de ameaça, necessitando ser retirados de seu núcleo familiar e, ou, comunitário, como Abrigos, Albergues, Casas Lares, Casas Repúblicas, Casas de Passagens, Instituições de Longa Permanência para Idosos.

 

 

 

  

 

 

 

 

Centro de Referência Especializada de Assistência Social - CREAS I

 

 

Considerando a definição expressa na Lei nº 12.435/2011, o CREAS é a unidade pública estatal de abrangência municipal ou regional que tem como papel constituir-se em lócus de referência, nos territórios, da oferta de trabalho social especializado no SUAS a famílias e indivíduos em situação de risco pessoal ou social, por violação de direitos. Seu papel no SUAS define, igualmente, seu papel na rede de atendimento.

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS-I, executa os serviços:

·         Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI);

·         Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida (LA), e de Prestação de Serviços à Comunidade (PSC);

 

Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI), é um Serviço de apoio, orientação e acompanhamento a famílias com um ou mais de seus membros em situação de ameaça ou violação de direitos. Compreende atenções e orientações direcionadas para a promoção de direitos, a preservação e o fortalecimento de vínculos familiares, comunitários e sociais e para o fortalecimento da função protetiva das famílias diante do conjunto de condições que as vulnerabilizam e/ou as submetem a situações de risco pessoal e social.

O atendimento fundamenta-se no respeito à heterogeneidade, potencialidades, valores, crenças e identidades das famílias. O serviço articula-se com as atividades e atenções restadas às famílias nos demais serviços socioassistenciais, nas diversas políticas públicas e com os demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos. Deve garantir atendimento imediato e providências necessárias para a inclusão da família e seus membros em serviços socioassistenciais e/ou em programas de transferência de renda, de forma a qualificar a intervenção e restaurar o direito.

O público alvo são Famílias e indivíduos que vivenciam violações de direitos por ocorrência de:

·         Violência física, psicológica e negligência;

·         Violência sexual: abuso e/ou exploração sexual;

·         Afastamento do convívio familiar devido à aplicação de medida socioeducativa ou medida de proteção;

·         Tráfico de pessoas;

·         Situação de rua e mendicância;

·         Abandono;

·         Vivência de trabalho infantil;

·         Discriminação em decorrência da orientação sexual e/ou raça/etnia;

·         Outras formas de violação de direitos decorrentes de discriminações/submissões a situações que provocam danos e agravos a sua condição de vida e os impedem de usufruir autonomia e bem estar;

·         Descumprimento de condicionalidades do PBF e do PETI em decorrência de violação de direitos.

 Tendo como OBJETIVOS: Contribuir para o fortalecimento da família no desempenho de sua função protetiva; Processar a inclusão das famílias no sistema de proteção social e nos serviços públicos, conforme necessidades; Contribuir para restaurar e preservar a integridade e as condições de autonomia dos usuários; Contribuir para romper com padrões violadores de direitos no interior da família; Contribuir para a reparação de danos e da incidência de violação de direitos; Prevenir a reincidência de violações de direitos.

O trabalho social essencial ao serviço é Acolhida; escuta; estudo social; diagnóstico socioeconômico; monitoramento e avaliação do serviço; orientação e encaminhamentos para a rede de serviços locais; construção de plano individual e/ou familiar de atendimento; orientação sociofamiliar; atendimento psicossocial; orientação jurídico-social; referência e contrarreferência; informação, comunicação e defesa de direitos; apoio à família na sua função protetiva; acesso à documentação pessoal; mobilização, identificação da família extensa ou ampliada; articulação da rede de serviços socioassistenciais; articulação com os serviços de outras políticas públicas setoriais; articulação interinstitucional com os demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos; mobilização para o exercício da cidadania; trabalho interdisciplinar; elaboração de relatórios e/ou prontuários; estímulo ao convívio familiar, grupal e social; mobilização e fortalecimento do convívio e de redes sociais de apoio.

 Tendo como AQUISIÇÕES DOS USUÁRIOS:

1. Segurança de acolhida: Ser acolhido em condições de dignidade em ambiente favorecedor da expressão e do diálogo; - Ser estimulado a expressar necessidades e interesses; Ter reparados ou minimizados os danos por vivências de violações e riscos sociais; - Ter sua identidade, integridade e história de vida preservadas; - Ser orientado e ter garantida efetividade nos encaminhamentos.

2. Segurança de convívio ou vivência familiar, comunitária e social: - Ter assegurado o convívio familiar, comunitário e social; - Ter acesso a serviços de outras políticas públicas setoriais, conforme necessidades.

3. Segurança de desenvolvimento de autonomia individual, familiar e social: - Ter vivência de ações pautadas pelo respeito a si próprio e aos outros, fundamentadas em princípios éticos de justiça e cidadania; - Ter oportunidades de superar padrões violadores de relacionamento; - Poder construir projetos pessoais e sociais e desenvolver a autoestima; - Ter acesso à documentação civil; - Ser ouvido para expressar necessidades e interesses; - Poder avaliar as atenções recebidas, expressar opiniões e reivindicações; - Ter acesso a serviços do sistema de proteção social e indicação de acesso a benefícios sociais e programas de transferência de renda; - Alcançar autonomia, independência e condições de bem estar; - Ser informado sobre seus direitos e como acessá-los; - Ter ampliada a capacidade protetiva da família e a superação das situações de violação de direitos; - Vivenciar experiências que oportunize relacionar-se e conviver em grupo, administrar conflitos por meio do diálogo, compartilhando modos não violentos de pensar, agir e atuar; - Ter acesso a experiências que possibilitem lidar de forma construtiva com potencialidades e limites.

As formas de acesso são por identificação e encaminhamento dos serviços de proteção e vigilância social; por encaminhamento de outros serviços socioassistenciais, das demais políticas públicas setoriais, dos demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos e do Sistema de Segurança Pública; Demanda espontânea.

A articulação com a rede é essencial para o desenvolvimento da atividades, e  é com o Serviços socioassistenciais de Proteção Social Básica; Serviços das políticas públicas setoriais;  Sociedade civil organizada;  Demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos;  Sistema de Segurança Pública; Instituições de Ensino e Pesquisa; Serviços, programas e projetos de instituições não governamentais e comunitárias.

O impacto social deve contribuir para a Redução das violações dos direitos socioassistenciais, seus agravamentos ou reincidência; Orientação e proteção social a  famílias e indivíduos; Acesso a serviços socioassistenciais e das políticas públicas setoriais; Identificação de situações de violação de direitos socioassistenciais; Melhoria da qualidade de vida das famílias.

            O Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida (LA), e de Prestação de Serviços à Comunidade (PSC), tem por finalidade prover atenção socioassistencial e acompanhamento a adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto, determinadas judicialmente. Deve contribuir para o acesso a direitos e para a resignificação de valores na vida pessoal e social dos adolescentes e jovens. Para a oferta do serviço faz-se necessário a observância da responsabilização face ao ato infracional praticado, cujos direitos e obrigações devem ser assegurados de acordo com as legislações e normativas específicas para o cumprimento da medida.

Na sua operacionalização é necessário a elaboração do Plano Individual de Atendimento (PIA) com a participação do adolescente e da família, devendo conter os objetivos e metas a serem alcançados durante o cumprimento da medida, perspectivas de vida futura, dentre outros aspectos a serem acrescidos, de acordo com as necessidades e interesses do adolescente.

O acompanhamento social ao adolescente deve ser realizado de forma sistemática, com frequência mínima semanal que garanta o acompanhamento contínuo e possibilite o desenvolvimento do PIA.

No acompanhamento da medida de Prestação de Serviços à Comunidade o serviço deverá identificar no município os locais para a prestação de serviços, a exemplo de: entidades sociais, programas comunitários, hospitais, escolas e outros serviços governamentais. A prestação dos serviços deverá se configurar em tarefas gratuitas e de interesse geral, com jornada máxima de oito horas semanais, sem prejuízo da escola ou do trabalho, no caso de adolescentes maiores de 16 anos ou na condição de aprendiz a partir dos 14 anos. A inserção do adolescente em qualquer dessas alternativas deve ser compatível com suas aptidões e favorecedora de seu desenvolvimento pessoal e social.

O público alvo do serviço são Adolescentes de 12 a 18 anos incompletos, ou jovens de 18 a 21 anos, em cumprimento de medida socioeducativa de Liberdade Assistida e de Prestação de Serviços à Comunidade, aplicada pela Justiça da Infância e da Juventude ou, na ausência desta, pela Vara Civil correspondente e suas famílias.

Tendo como Objetivos: Realizar acompanhamento social a adolescentes durante o cumprimento de medida socioeducativa de Liberdade Assistida e de Prestação de Serviços à Comunidade e sua inserção em outros serviços e programas socioassistenciais e de políticas públicas setoriais; Criar condições para a construção/reconstrução de projetos de vida que visem à ruptura com a prática de ato infracional; Estabelecer contratos com o adolescente a partir das possibilidades e limites do trabalho a ser desenvolvido e normas que regulem o período de cumprimento da medida socioeducativas; Contribuir para o estabelecimento da autoconfiança e a capacidade de reflexão sobre as possibilidades de construção de autonomias; Possibilitar acessos e oportunidades para a ampliação do universo informacional e cultural e o desenvolvimento de habilidades e competências; Fortalecer a convivência familiar e comunitária.

O Trabalho social essencial ao serviços é Acolhida; escuta; estudo social; diagnóstico socioeconômico; referência e contra-referências; trabalho interdisciplinar; articulação interinstitucional com os demais órgãos do sistema de garantia de direitos; produção de orientações técnicas e materiais informativos; monitoramento e avaliação do serviço; proteção social proativa; orientação e encaminhamentos para a rede de serviços locais; construção de plano individual e familiar de atendimento, considerando as especificidades da adolescência; orientação sociofamiliar; acesso a documentação pessoal; informação, comunicação e defesa de direitos; articulação da rede de serviços socioassistenciais; articulação com os serviços de políticas públicas setoriais; estímulo ao convívio familiar, grupal e social; mobilização para o exercício da cidadania; desenvolvimento de projetos sociais; elaboração de relatórios e/ou prontuários.

Tendo como AQUISIÇÕES DOS USUÁRIOS:

1. Segurança de Acolhida: - Ser acolhido em condições de dignidade em ambiente favorecedor da expressão e do diálogo; - Ser estimulado a expressar necessidades e interesses.

2. Segurança de convívio ou vivência familiar, comunitária e social: - Ter acesso a serviços socioassistenciais e das políticas públicas setoriais, conforme necessidades; - Ter assegurado o convívio familiar, comunitário e social.

3. Segurança de desenvolvimento de autonomia individual, familiar e social: - Ter assegurado vivências pautadas pelo respeito a si próprio e aos outros, fundamentadas em princípios éticos de justiça e cidadania. - Ter acesso a: - Oportunidades que estimulem e ou fortaleçam a construção/reconstrução de seus projetos de vida; - Oportunidades de convívio e de desenvolvimento de potencialidades; - Informações sobre direitos sociais, civis e políticos e condições sobre o seu usufruto; - Oportunidades de escolha e tomada de decisão; - Experiências para relacionar-se e conviver em grupo, administrar conflitos por meio do diálogo, compartilhando modos de pensar, agir e atuar coletivamente; - Experiências que possibilitem lidar de forma construtiva com potencialidades e limites; - Possibilidade de avaliar as atenções recebidas, expressar opiniões e participar na construção de regras e definição de responsabilidades.

As forma de acesso são através de Encaminhamento da Vara da Infância e da Juventude ou, na ausência desta, pela Vara Civil correspondente.

A Articulação com em rede: Serviços socioassistenciais de Proteção Social Básica e Proteção Social Especial; Serviços das políticas públicas setoriais; Sociedade civil organizada; Programas e projetos de preparação para o trabalho e de inclusão produtiva; - Demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos; Serviços, programas e projetos de instituições não governamentais e comunitárias.

Tendo como impacto social esperado Contribuir para Vínculos familiares e comunitários fortalecidos; - Redução da reincidência da prática do ato infracional; - Redução do ciclo da violência e da prática do ato infracional.

 

- Horário de funcionamento: das 08h00 as 17h30min;

 

- Endereço: rua Cyro Fernandes do Lago, nº 167 – Pioneiro

 

- Telefone: (45) 3378-2855

 

- e-mail : creas1@toledo.pr.gov.br

 

- Nome da coordenação: Martha Regina Rohr 

 

Centro de Referência Especializado de Assistência Social - Indivíduos e Família - CREAS II

CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CREAS II

 

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), de acordo com seu guia de orientação, “constitui-se numa unidade política estatal, de prestação de serviços especializados e continuados a indivíduos e famílias com seus direitos violados” (Guia CREAS, 2007). Ainda segundo tal documento, o CREAS deve promover a articulação de esforços, recursos e meios para enfrentar a dispersão dos serviços de média complexidade e potencializar as ações para seus usuários.

O CREAS II foi implantado, tendo como objetivo principal o trabalho no enfrentamento das diversas formas de violências sofridas por: crianças e adolescentes, idosos, mulheres, pessoas com deficiência e moradores de rua.

Diante da necessidade de reordenar os Serviços ofertados pelos CREAS no município, iniciou-se em 2014 uma discussão para adequação dos equipamentos de acordo com a Política de Assistência Social. Neste período discutiu-se o reordenamento dos Serviços ofertados pelos CREAS, sendo que o CREAS I até então, executava o Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida (LA) e de Prestação de Serviços à Comunidade (PSC), já o CREAS II, desenvolvia os seguintes serviços: Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos - PAEFI e o Serviço Especializado em Abordagem Social.

A readequação dos CREAS considerou a territorialização conforme preconiza o Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Foi analisado o CENSO, bem como, as demandas de cada bairro para os Serviços, áreas que apresentam mais situações de vulnerabilidade social e risco, para que fosse definido o território de abrangência de cada CREAS.

O reordenamento dos Serviços se deu ao final de fevereiro de 2015, sendo que o CREAS II a partir de então, passou a executar três Serviços socioassistenciais tipificados, sendo estes: o Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos - PAEFI, o Serviço Especializado em Abordagem Social e o Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida (LA) e de Prestação de Serviços à Comunidade (PSC).

O Serviço PAEFI abrange atendimento e orientação social, psicológico e jurídico destinado às pessoas vítimas de violências física, psicológica, sexual, financeira ou negligência, abandono, maus tratos e de abuso e exploração sexual e comercial, a seus familiares e ao agressor.

O Serviço realiza procedimentos de acolhimento, escuta, atendimento especializado, em rede, interdisciplinar, encaminhamento e acompanhamento de indivíduos e famílias em situação de violência, criando condições que possibilitem a garantia dos direitos, o acesso aos serviços de assistência social, saúde, educação, justiça e segurança, esporte, lazer, cultura, geração de renda e qualificação profissional, garantindo compromisso ético, político e multidisciplinariedade das ações. As intervenções não são apenas de nível técnico, mas também de articulação entre os membros da equipe (trabalho transdisciplinar) e entre os diversos setores da sociedade (trabalho interinstitucional).

O Serviço Especializado em Abordagem Social realiza o atendimento à pessoas em situação de rua, buscando estabelecer contato direto da equipe técnica com as pessoas moradoras, trabalhadoras ou com trajetória de rua, permitindo conhecer as condições em que vivem e as relações estabelecidas. Os objetivos estão relacionados à orientação e a defesa de direitos e no caso de consentimento ativo e esclarecido, visa o encaminhamento socioassistencial e a outras políticas setoriais, assim como o restabelecimento dos vínculos familiares e comunitários com a construção de projeto de vida e possibilidades de autonomia.

O Serviço de Proteção a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa em Meio Aberto atende adolescentes de 12 a 18 anos incompletos, ou jovens de 18 a 21 anos, em cumprimento de Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida (LA) e de Prestação de Serviços à Comunidade (PSC), aplicada pelo juiz da Infância e da Juventude.

 

 

Território de abrangência do CREAS II:

 

Quais os bairros e distritos que o CREAS II atende?

            O Serviço Especializado em Abordagem Social atende todo o município de Toledo, tanto na área urbana como na área rural.

            Os outros Serviços desenvolvidos pelo CREAS II fazem o atendimento as famílias do território de abrangência, os bairros que fazem parte do território de abrangência do CREAS II são: Vila Becker, Jd. La Salle, Santa Maria, Tocantins, Vila Industrial, Jardim Gisele, Fachini, Jd. Coopagro, Planalto, Pancera, Basso, Anápolis, Santa Clara I, Pasquali, Filadélfia, Vila Panorama, São Francisco, Cerâmica Prata, Bressan, Parizotto,  Belo Horizonte, Croma, Santa Clara II, Jardim das Torres, Cezar Park, Vila Rural, Centro e Jardim Porto Alegre. Distritos: Concórdia D’oeste, Dez de Maio, Dois Irmãos, Ipiranga, Vila Nova, Novo Sobradinho, Vila São Miguel e Novo Sarandi.

 

 

 

Figura 01 – Definição dos Territórios de Abrangência dos CREASs (DISPONÍVEL EM ANEXO)

 

Serviços ofertados:

·         Serviço de Proteção E Atendimento Especializado A Famílias E Indivíduos – PAEFI;

·         Serviço Especializado Em Abordagem Social;

·         Serviço de Proteção Social Especial Para Pessoas Com Deficiência, Idosos (as) e suas Famílias;

·         Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida (LA) e de Prestação de Serviços à Comunidade (PSC).

 

Formas de violências atendidas pelo Serviço PAEFI:

 

·         Física: quando há uso de força física, maus tratos, que deixam ou não marcas visíveis no corpo da criança/adolescente, idoso, pessoa com deficiência ou pessoa em situação de rua;

·         Psicológica e verbal: quando há agressões verbais ou gestuais, com objetivo de chantagear, ameaçar ou aterrorizar a criança/adolescente, idoso, pessoa com deficiência ou pessoa em situação de rua.

·         Sexual: quando ocorre exploração, assédio ou ato sexual com criança/adolescente, ou quando isso ocorre sem o consentimento da criança/adolescente, idoso, pessoa com deficiência ou pessoa em situação de rua;

·         Financeira ou Patrimonial: quando há exploração imprópria, ilegal e/ou uso, sem autorização do idoso, pessoa com deficiência ou criança/adolescente, de seus recursos materiais;

·         Negligência: quando há esquecimento, falha ou recusa em providenciar assistência às necessidades básicas da criança/adolescente, idoso, pessoa com deficiência ou pessoa em situação de rua;

·         Abandono: ausência dos responsáveis governamentais, institucionais ou familiares de prestarem amparo e/ou cuidados à criança/adolescente ou ao idoso, pessoa com deficiência e pessoa em situação de rua que necessitem de proteção;

·         Auto-Negligência: quando o idoso, pessoa com deficiência ou pessoa em situação de rua não aceita proteção e cuidados, ameaçando sua própria saúde e segurança.

 

Portas de entrada para os Serviços:

 

·         Busca ativa (através da abordagem em vias públicas e locais identificados pela incidência de situações de risco ou violação de direitos);

·         Demanda Espontânea (Denúncia da sociedade civil, direto ao serviço, com sigilo resguardado);

·         Encaminhamentos da Rede (Conselho Tutelar, Promotoria, Vara da Infância e da Juventude, Serviços de Assistência Social, Serviços de Saúde, Escolas, entre outros).

 

Endereço:

 

Rua Raimundo Leonardi, 1081 – Centro – Toledo.

 

Telefones:

 

 3378-1267

 3378-2507